Uma lição de fé e coragem através da vida da Sunamita – II Reis 4

Por 16 de janeiro de 2019 Artigos e Notícias

Dentro dos exemplos dados na Bíblia através de algumas mulheres, encontramos a sunamita que dá fortalecimento à nossa fé e nos ensina a não desistir de nossos sonhos, no livro de II Reis, capítulo 4.

Por Irmã Darcy

Essa mulher, que nem seu nome tem divulgado na Bíblia, viveu momentos de grande aflição diante da morte súbita de seu único filho. Filho tão aguardado e querido.

Essa situação nos traz à memória os muitos que estão a sofrer sem perspectiva de solução para os seus problemas. Apesar da dor, ela não tomou nenhuma atitude precipitada, como chamar os amigos para velarem seu filho e logo providenciar seu sepultamento.

No entanto, enfrentou a realidade cruel da morte do seu pequeno filho que morreu em seus braços (v. 20). Ela tomou a atitude correta no momento de dor. Creu antecipadamente que o homem de Deus, pelo qual tinha profundo respeito e que havia se tornado um grande amigo, poderia fazer algo nesse momento de angústia.

Quantos, em momentos semelhantes a esse, entram em desespero e não conseguem agir de maneira adequada?

Ela tomou seu filho em seus braços colocou-o sobre a cama do homem de Deus, saiu, fechou a porta atrás de si e foi procurar sua ajuda. Onde? Onde o homem de Deus estava. Note que a distância de sua casa até o monte Carmelo onde se encontrava aquele homem era de 40 quilômetros de distância, aproximadamente. Mesmo assim, ela não desanimou. Ao encontrar-se com esse homem, declarou que não o deixaria se ele não fosse com ela até a sua casa.

É interessante notar que, ao chegar ao monte, foi recepcionada pelo servo do homem de Deus, que lhe perguntou se tudo ia bem, ao que ela respondeu: Vai tudo bem. Isso é certeza antecipada de vitória, porque aquela mulher, mesmo diante da situação, cria no poder do Deus, que tudo pode e que para Ele nada é impossível.

Por essas lições é que mesmo que a luta seja difícil, o cristão jamais deve desistir de lutar pela bênção que Deus lhe reservou, mas continuar buscando a resposta por meio da oração.

Agir segundo a vontade de Deus, crer, receber e ser agradecido após receber a resposta de Deus, conforme o seu desejo (v. 37).

Deixe um Comentário