Dia de Intercessão Pela Igreja Perseguida (DIP)

Por 26 de junho de 2019 Artigos e Notícias
Por Yan de Abreu

O DIP é um evento mundial de oração pela Igreja Perseguida e a participação desta Igreja e de suas congregações sinalizou o Reino!

Ministério de Missões

O Ministério de Missões da Igreja Batista Shekinah, representado pelo Ir. Washington Hanada, reservou um “caixa” no valor de R$500,00 (Quinhentos Reais) para a realização do Domingo da Igreja Perseguida. Esse valor foi confiado ao Ir. Yan de Abreu, o qual ficou responsável pela organização e divulgação de tal evento, segundo as instruções do Pr. Célio Bezerra e Ir. Washington Hanada. A organização começou três semanas antes do evento, a ideia foi disparar vídeos a respeito do DIP a cada domingo em uma “janela” cedida na EBD. O Pr. Célio Bezerra encarregou-se de anunciar esses vídeos e relatar o que havíamos acatado do mesmo como sugestão de organização. Resumidamente, a ideia era fazermos um período ininterrupto de doze horas de orações em favor da Igreja Perseguida. Nesse ano o Portas Abertas selecionou o País que há Dezesseis anos está encabeçando como primeiro lugar o mapa de países mais perseguido, a Coreia do Norte.

Coreia do Norte

Coreia do Norte é o lugar mais difícil para um cristão viver, a perseguição é severa e brutal. O ditador Kim Jong-un é um tirano que subjuga o povo de acordo com sua perspectiva doentia de governo. Um governo socialista que suprime e contingencia o alimento, pagando as duras horas de trabalho, sete dias por semanas com um “punhado de milho”. Crianças subnutridas, doutrinadas desde tenra idade e proibidas de romper com a cosmovisão maléfica do ditador.  Além de todos os controles absurdos e os muito mais que não caberiam nesta folha encarrego-me de clarificar que na Coreia do Norte o exercício da fé é extrema e severamente proibido.

Nesse contexto nos reunirmos, com o objetivo de intercedermos e orarmos em favor de nossos irmãos norte coreanos. Foram selecionados doze líderes, onde cada um deles ficava responsável por uma hora (literal) de oração, sendo no total doze horas ininterruptas. Precisamente, o planejado foi, das sete as oitos Diác. Gilson, das oito às nove Diác. Aquiles, das nove às dez Diác. Efraim, das dez às onze Diác. Adiel, das onze às doze Ir. Maressa, das doze às treze Ir. Gilson Bastos, de treze às quatorze Diác. Darcy, de quatorze às quinze Ir. Priscila, de quinze as dezesseis Ir. Yan de Abreu, de dezesseis às dezessete Ir. Bruno Lourenço, das dezessete às dezoito Ir. Nilda e das dezoito as dezenove Pr. Célio.

Em todos os horários tudo ocorreu muito bem, adianto que exceto nos horários dos irmãos Gilson Bastos e Bruno Lourenço. A despeito de cada caso, o Ir. Gilson alegou falta de observância para com as mensagens prestadas e falhou em não avisar antecipadamente sua ausência. A despeito do Ir. Bruno, houve o falecimento de um de seus tios, acontecimento pelo qual ele foi impedido de fazer-se presente nas horas ininterruptas. É importante alegar que não houve interrupções nas orações pois haviam irmãos na sala dando procedimento ao objetivo de estarmos firmes e ininterruptamente em oração pela igreja perseguida.

Com a graça de Deus pude estar presente em todos os horários, com esses olhos testemunhei grandes e belos acontecimentos. Para mim um dos mais marcantes foi à reflexão e o impacto causado nos irmãos participantes… recordo-me dos Irmãos Efraim e Aurindo, os quais com lágrimas nos olhos testemunharam sua sensibilidade e necessidade de dedicação a obra de Deus. Todos conduziram muito bem os seus horários, com bastante foco e dedicação com a oração em favor da Igreja perseguida na Coreia do Norte. A participação das crianças foi um momento ímpar e emocionante, elas puderam aprender e entender a importância de orar pelos irmãos da Igreja sofredora norte coreana. Assim como, a participação em peso das mulheres foi objetivamente edificante! O pastor Vanderson pôde estar presente e compartilhou a mim, sua alegria e apreciação com aquele momento, sugerindo que repetíssemos em outras oportunidades e por outros motivos. Os feedbacks recebidos foram positivos a saber da organização da sala e a condução dos líderes. O material foi de excelente qualidade, feito com dedicação e em louvor ao Senhor. Outro ponto marcante foi a participação das congregações, há uma unidade promovida pelo Ministério de Missões Shekinah, compartilhamos nosso roteiro e materiais para a edificação de todo o corpo e em favor mútuo. No mais, agradeço pelas vidas do Pr. Célio e Ir. Hanada, pela sensibilidade para com missões, pela disposição em participarem ativamente e apoiarem incondicionalmente.

 

Graças a Deus por tudo. Soli Deo gloria!

Deixe um Comentário