O que fazer quando a alegria está acabando no casamento?

Por 7 de julho de 2019 Devocionais

João 2.9
Tendo o mestre-sala provado a água transformada em vinho (não sabendo donde viera, se bem que o sabiam os serventes que haviam tirado a água), chamou o noivo.

Reflexão


O casamento é cenário de muitas lutas. Com frequência, o jardim florido da poesia e do amor vai se tornando cinzento, como um deserto cheio de cactos e espinhos. Em lugar do amor, aparece a indiferença, e a poesia é substituída pelo silêncio perturbador ou pela ausência de afetos. A alegria e o romantismo são sufocados por uma relação árida, eivada de agressividade. A relação outrora timbrada pela espontaneidade torna-se mecânica, pesada e tensa. A comunicação, adornada por palavras doces de, transforma-se num campo de guerra, onde voam as setas envenenadas da acusação, da crítica e do desprezo. O calor do abraço mergulha no inverno intérmino da ausência de carinho e toque. Os que foram unidos para serem uma só carne vivem no ninho. Resultado? A alegria arruma as malas e vai embora do casamento!

O que fazer nessas horas? Desistir do casamento? Culpar o cônjuge? Isolar-se cheio de autopiedade, como uma vítima ferida? Não! Há solução em Jesus para casamento. Veja o texto de João 2.1-11. Há aqui três princípios para restaurar a alegria no casamento. Maria foi convidada para uma festa de casamento em Caná. Lá estavam também Jesus e os seus discípulos. No meio da festa, faltou vinho. Vinho era símbolo da alegria. Sem vinho, a festa não podia continuar. O que fazer, então, quando o vinho acaba na festa, quando a alegria está acabando no casamento?

1. IDENTIFIQUE O PROBLEMA (Jo 2.3).

Maria, com a sua percepção feminina, logo viu que o vinho havia acabado. No casamento, os cônjuges precisam viver com as antenas ligadas. Precisam ter acuidade para perceber o que está acontecendo. Precisam desenvolver um discernimento profundo para fazer a leitura correta do que está se passando na família. Há casais que parecem estar dormindo na tormenta, não querendo ver a crise que está se instalando no casamento. Há casais que, quando vão acordar para fazer alguma coisa para salvar o casamento, já é tarde demais. O primeiro passo para a cura é o diagnóstico exato; e quanto mais cedo, melhor. No casamento, não dá para viver de aparência. As máscaras precisam cair. A realidade precisa ser enfrentada sem subterfúgios. Os problemas precisam ser identificados a fim de que possam ser resolvidos.

2. APRESENTE O PROBLEMA A JESUS (Jo 2.3).

Maria, antes de falar com qualquer outra pessoa, foi a Jesus e disse: “Eles não têm mais vinho”. Na crise, não adianta se desesperar; é preciso buscar a pessoa certa. Muitos casais acabam se ferindo com acusações pesadas, minando o nome e a honra do cônjuge, esmagando a sua imagem diante das pessoas, em vez de levar o problema e colocá-lo aos pés de Jesus. Felizes são os cônjuges que podem orar juntos, derramando diante do Senhor Jesus todas as suas ansiedades, pois do seu trono de glória brotam cura, restauração e uma fonte de alegria. Bem-aventurado é o casal que, na crise, não busca sair pela porta dos fundos, desistindo do casamento nas barras de um tribunal, mas busca solução para os seus problemas aos pés do Senhor.

3. FAÇA TUDO O QUE JESUS MANDAR (Jo 2.7,8).

Jesus mandou os serventes encherem de água as talhas. Eles não argumentaram, não questionaram, não duvidaram; obedeceram. E, quando obedeceram, o milagre aconteceu: a água se transformou em vinho, e vinho da melhor qualidade. Não basta levar os problemas a Jesus; é preciso fazer o que ele manda. Muitas vezes, a palavra de Jesus parece conspirar contra a nossa lógica. Os serventes podiam pensar: “Nós precisamos de vinho, e não de água”. Mas a fé obedece mesmo quando não entende. A fé vê o invisível, alcança o inatingível e toma posse do impossível. A palavra de Maria aos serventes é cheia de sabedoria: “Fazei tudo o que ele vos disser” (Jo 2.5). Eles não duvidaram nem questionaram, mas obedeceram, e o milagre aconteceu. A alegria voltou àquela festa. E, quando Jesus fez o milagre, o vinho foi de melhor qualidade que o que estava sendo servido. Quando Jesus devolve a alegria a um casal, o melhor sempre vem depois: o deserto se transforma em jardim; o vale seco, em manancial; o choro, em riso; a indiferença, em amor; o silêncio, em dinâmica comunicação; e a tristeza, em alegria indizível!

Decisão


Quais ensinos você aprendeu nesta lição? O que você identificou em sua vida que precisa mudar? Quais lições você precisa aplicar? Quais decisões você precisa tomar para vivenciar estes ensinos em sua vida e família?

Oração


Não deixe de orar meditando em todas as lições, agradecendo a Deus e pedindo-lhe que realize todas as mudanças necessárias em você e através de você, seja entre seus familiares, irmãos na fé e em todos ao seu redor.

* Extraído e organizado a partir da obra: LOPES, Hernandes Dias. Mensagens Selecionadas para a Família. São Paulo: SP. Editora United Press/Ultimato, 2017.

Deixe um Comentário