As atitudes do marido cristão

Por 18 de agosto de 2019 Devocionais

1 Pedro 3.7
Maridos, vós, igualmente, vivei a vida comum do lar, com discernimento; e, tendo consideração para com a vossa mulher como parte mais frágil, tratai-a com dignidade, porque sois, juntamente, herdeiros da mesma graça de vida, para que não se interrompam as vossas orações.

Reflexão


A ética cristã é recíproca no governo, no trabalho e na família. Não existem dois pesos e duas medidas quando o assunto é papel do governo ou do cidadão, do patrão ou do empregado, do marido ou da mulher, dos pais ou dos filhos. Antes, há um equilíbrio entre privilégios e responsabilidades, entre direitos e deveres (Ef 5.22-6.9).

A submissão da esposa não dá ao marido o direito de ser rude ou déspota. O uso do termo igualmente, direcionado aos maridos, revela que, longe de a submissão da esposa ser uma plataforma confortável que permite ao marido explorar a mulher, é um campo de serviço. Cristo, sendo Senhor da igreja, a serviu. Sendo o cabeça da igreja, morreu por ela. Não há egoísmo no amor Cristo pela igreja.

Jesus jamais abusou, tiranizou, explorou ou envergonhou a sua noiva. Assim como Cristo, o marido que espera a submissão da sua mulher deve estar pronto a dar a vida por ela. Esse é o padrão de Deus. Porém, a Bíblia não diz ao marido para amar sua mulher apenas quando ela lhe é submissa, nem diz à mulher para se submeter a seu marido apenas quando ele a ama como Cristo ama a igreja. Antes, os maridos são orientados a amar sua mulher sendo ela submissa ou não. E as mulheres são orientadas a se submetera seu marido sendo ele amoroso ou não. O marido precisa estar preparado para dar sua vida pela esposa, e a mulher precisa estar pronta para se submeter a seu marido.

No entanto, é mais fácil para uma mulher ser submissa ao marido como a igreja é submissa a Cristo do que o marido amar sua esposa como Cristo ama a igreja. Talvez seja por isso que Pedro destaca quatro cuidados que o marido deve ter com a esposa.

O primeiro cuidado se refere ao aspecto físico: Maridos, vós, igualmente, vivei a vida comum do lar… (1Pe 3.7). A expressão vivei a vida comum do lar é a tradução da palavra grega synoikuntes, que significa “vivendo juntos na mesma casa” como marido e mulher. Essa palavra também denota o sentido de coabitação, que proíbe separações desnecessárias e implica mútua comunhão de bens e pessoas, com prazer e harmonia. Embora esse relacionamento tenha uma abrangência maior, não podemos deixar de destacar o aspecto da intimidade física. O casamento é, fundamentalmente, um relacionamento físico:… tornando-se os dois uma só carne (Gn 2.24). Ao marido cabe, portanto, a responsabilidade de cuidar da sua esposa e do seu lar. Ou seja, a responsabilidade de ser o provedor do lar (1Tm 5.8).

O marido também deve cuidar do aspecto intelectual… com discernimento… (1Pe 3.7). O discernimento é fruto do conhecimento. Homem e mulher são dois universos distintos. Têm profundas diferenças físicas e emocionais. Essas diferenças, porém, complementam a relação. O marido cristão precisa conhecer as variações de humor, sentimentos, medos e esperanças da esposa. Precisa ouvir com o coração e falar a verdade em amor com ela. Há muitos homens que conhecem pouco das peculiaridades femininas. Tratam sua mulher como se estivessem tratando com outro homem. Faltam-lhes conhecimento e tato.

O aspecto emocional é outra área que exige cuidado da parte do marido: …tendo consideração para com a vossa mulher como parte mais frágil… (1 Pe 3.7). O marido precisa tratar sua mulher com cavalheirismo. Precisa ser romântico, carinhoso e amável no trato com sua esposa. Deve dirigir-se constantemente à sua mulher, dizendo: Muitas mulheres procedem virtuosamente, mas tu a todas sobrepujas (Pv 31.29). Nada fere mais uma mulher do que um marido “casca grossa” e rude no trato. É óbvio que Pedro não está dizendo que a mulher é a parte mais frágil em termos mentais, morais ou espirituais, mas sim em termos físicos. A mulher é mais sensível na alma e mais frágil na força física. Assim, como o mais forte dos dois parceiros no casamento, o marido deve carregar os fardos mais pesados, proteger sua esposa e suprir suas necessidades. O marido deve tratar a esposa como um vaso caro, belo e frágil, que contém um tesouro precioso. A expressão “ter consideração” significa que o marido respeita os sentimentos, os desejos e a maneira de pensar da esposa.

O último cuidado mencionado por Pedro se relaciona com o aspecto espiritual: … tratai-a com dignidade, porque sois, juntamente, herdeiros da mesma graça de vida, para que não se interrompam as vossas orações (1Pe 3.7). Na Antiguidade, as mulheres não participavam dos cultos gregos e romanos. Até mesmo nas sinagogas judaicas as mulheres não podiam ter acesso. No cristianismo, porém, as mulheres têm direitos espirituais iguais. Isso traz consequências para o marido, pois sua vida espiritual está diretamente relacionada com a forma de ele tratar sua mulher.

Na verdade, Pedro vai mais longe ao tratar do aspecto espiritual, pois ele diz que, se o marido falhar em amar, honrar e respeitar sua mulher, certamente terá suas orações interrompidas. Pois os suspiros da mulher maltratada se interpõem entre as orações do esposo e os ouvidos de Deus. E, quando cessam as orações ou quando se resumem a mera formalidade, a vida espiritual e também o matrimônio correm perigo.

É certo que Deus não aceita as orações que marido e mulher oferecem num ambiente de luta, briga e discórdia. Ele quer que se reconciliem, para que possam orar juntos em paz e harmonia e, assim, desfrutar das incontáveis bênçãos divinas. Portanto, todos os casados devem se empenhar em manter um comportamento amável e pacífico, a fim de não atrapalhar, com suas brigas, as suas orações.

Decisão


Quais ensinos você aprendeu nesta lição? O que você identificou em sua vida que precisa mudar? Quais lições você precisa aplicar? Quais decisões você precisa tomar para vivenciar estes ensinos em sua vida e família?

Oração


Não deixe de orar meditando em todas as lições, agradecendo a Deus e pedindo-lhe que realize todas as mudanças necessárias em você e através de você, seja entre seus familiares, irmãos na fé e em todos ao seu redor.

* Extraído e organizado a partir da obra: LOPES, Hernandes Dias. Mensagens Selecionadas para a Família. São Paulo: SP. Editora United Press/Ultimato, 2017.

Deixe um Comentário