Os Princípios da Adoração Pública

Por 2 de fevereiro de 2020 Devocionais

Salmo 135:1-3
“Aleluia! Louvem o nome do Senhor; louvem-no, servos do Senhor, vocês, que servem na casa do Senhor, nos pátios da casa de nosso Deus.
Louvem o Senhor, pois o Senhor é bom; cantem louvores ao seu nome, pois é nome amável.”

Reflexão


Visto que a Sagrada Escritura é a única regra infalível de fé e prática, os princípios da adoração pública devem ser derivados da Bíblia, e de nenhuma outra fonte. Um serviço de adoração pública não é meramente uma reunião entre si dos filhos de Deus, mas em primeiro lugar um encontro de Deus com o seu povo escolhido. Deus está presente na adoração pública não somente por causa da onipresença, porém muito mais intimamente, como o Salvador pactual fiel.

O propósito da adoração pública é a glória de Deus. Seu povo deveria se engajar em todas as suas várias partes com o olho fixo em sua glória. Ela tem como seu objetivo a edificação da igreja mediante o aperfeiçoamento dos santos e adição à sua membresia daqueles que estão sendo salvos. Através da adoração pública no Dia do Senhor, os cristãos deveriam aprender a servir a Deus todos os dias da semana em todas as suas atividades diárias, lembrando que, quer comamos, bebamos ou façamos qualquer outra coisa, que seja tudo para a glória de Deus. (1Co 10:31)

A adoração pública é corretamente dita ser divina, pois Deus é o seu princípio e fim. Ela é dele, por meio dele e para ele. Ela é cristã quando os adoradores reconhecem que Cristo é o Mediador por quem somente podemos chegar a Deus, quando eles honram a Cristo como o Cabeça da igreja, que governa sobre a adoração pública, e quando sua adoração é uma expressão da fé em Cristo e do seu amor por ele.

Ela deve ser realizada em espírito e em verdade. O externalismo e a hipocrisia são condenados. As formas de adoração pública têm valor somente quando servem para expressar a reverência interior do adorador e sua devoção sincera ao Deus vivo e verdadeiro. E somente aqueles cujos corações foram renovados pelo Espírito Santo são capazes de tal reverência e devoção.

A adoração pública difere da adoração privada em que na adoração pública Deus é servido por seus santos unidos como seu povo pactual, o corpo de Cristo. Por esta razão as crianças do pacto deveriam estar presentes tanto quanto possível, assim como os adultos. Pela mesma razão, nenhum favoritismo deve ser mostrado para com aqueles que estão presentes. Nem pode algum membro da igreja ousar se exaltar acima dos outros como se fosse mais espiritual, mas cada um deve estimar aos outros melhor do que a si mesmo.

Cabe ao povo de Deus não somente chegar à sua presença com um profundo senso de temor diante do pensamento de sua perfeita santidade e da nossa pecaminosidade, mas também entrar pelas suas portas com gratidão e em seus átrios com louvor pela grande salvação que ele tão graciosamente adquiriu para nós, por meio de seu Filho Unigênito, e aplicada em nós pelo Espírito Santo.

Decisão


Como a sua adoração é transformada ao saber que ela é “em primeiro lugar um encontro do Deus com o seu povo escolhido”? Como você pode glorificar melhor a Deus na sua adoração hoje? Decida adorar ao Senhor como este deseja ser adorado, com o coração cheio de reverência e devoção a Deus.

Oração


Ó Deus, Todo-poderoso, que toda honra e gloria sejam dadas somente a Ti. Concede-nos a graça de ti adorar da maneira que é devida. Perdoa-nos se temos tomado a tua glória e nos ajuda a te adorar em espirito e em verdade, unidos com toda a igreja de Cristo. Por teu amado Filho, que vive e reina contigo, e com o Espirito Santo, um só Deus, agora e sempre. Amem.

* Organizado a partir do artigo “Os Princípios da Adoração Pública”, pôr Carl Willian Shishko, disponível em:<monergismo.com/textos/adoracao/principios-adoracao-publica1_William-Shishko.pdf>

Deixe um Comentário